quarta-feira, 23 de abril de 2014

BC - Papo de Mãe: Maternidade e carreira - Qual é a tua escolha e porque?

Aii aii..

Esse assunto me dá até um nó na garganta. Vocês sabem né? um assunto mal resolvido pra mim, mas vamos lá..

O sonho da minha vida era casar, ter filhos, cuidar deles e da casa, ser maria mesmo. Tenho ódio daquelas mulheres que inventaram de queimar sutiã, tenho ódio das obrigações (SIM, OBRIGAÇÕES) que trouxeram pra nós, mulheres que gostaríamos de viver aquela vida bem amélia. Eu queria poder ficar em casa, acordar o Anthony pela manhã e brincar, brincar..lá pelas 11 fazer almoço pra nós, arrumar a casa (que estaria sempre bem cuidada) fazer ele dormir, ensinar ele a engatinhar, andar..na minha casa sempre teria um bolo fresquinho, cheiro de feijão no fogo quando o marido chegasse em casa, poderia ter uma hortinha, fazer comida com temperos frescos...Queria aprender a costurar, fazer fru-frus pra casa, enfim, ter aquela vida pacata dos anos 60 sabe? mas não posso. As mulheres queriam PODER opinar, votar, trabalhar, conseguiram. Aliás, hoje elas só não PODEM como DEVEM. E infelizmente, esse é o meu caso.

Eu sou obrigada a todos os dias acordar com o dia escuro, arrumar as coisas do Anthony pra creche, me arrumar, trocar ele (ainda dormindo e reclamando), sair com ele no frio e as vezes chuva, entregá-lo na creche pra uma tia que tambem preferia estar em casa com seus filhos, dar um beijo sofrido, apertado, com o coração acelerado e olhos cheios de lágrimas enquanto ele se recusa a sair do meu colo e logo sair correndo, sem me despedir o suficiente. To atrasada, preciso ir logo pro trabalho. Passo o dia inteiro pensando nele, imaginando ´´será que hoje ele comeu? será que hoje ele dormiu?`` Sim. Anthony não dorme na creche. A tia me fala todos os dias da dificuldade que ele tem em dormir. Primeiro porque é acostumado a dormir no colo, segundo porque as outras crianças choram e ele acorda, e assim ele passa o dia, sem tirar uma soneca qualquer. Estressado. Chorando. Chega em casa rouco e eu prefiro nem pensar no tanto que ele deve ter chorado na creche.

Saio correndo do trabalho pra buscá-lo. Peito cheio de leite, coração cheio de saudade..Quando ele me vê fica tããão feliz, vem engatinhando/se arrastando até a porta, quando eu pego no colo as perninhas não param de balançar de tanta alegria! A profe conta que, novamente, ele não dormiu. Tambem avisa que teve diarreia e que está com o peito carregado, daquela gripe ainda, que já fazem 4 semanas. Amamento alí mesmo, ele sorrí quando vê o seio e mama com tanta vontade, com tanto amor, com tanto apego!

Chegamos em casa, que está uma zona, uma bagunça, uma louça que ficou de ontem a noite sem lavar, um caos. Coloco o Anthony no tapete no chão (de novo? ele não passou o dia todo no chão?) e vou tentar adiantar alguma coisa pro jantar. Papai chega (thanks God) e brinca um pouco com o Anthony, depois vão tomar banho. Enquanto o pai janta dou mais um mamá e alí ele dorme. Exausto. Não são nem oito da noite ainda. Acabou meu dia com meu filho. Aquele ser que era metade de mim até uns meses atrás. Aquele serzinho que precisava de mim pra tudo, e eu passei o quê? duas horas com ele?

Que vida é essa em que a gente tem que trabalhar pra dar uma ´´vida boa`` pros filhos sendo que a gente participa da ´´vida boa`` deles duas horas por dia?

Aí você pensa ´´ué, então larga do emprego, fica em casa com ele`` e eu te digo com todas as letras: NÃO POSSO. Infelizmente essa é a minha realidade. Estou estudando para, um dia, poder ficar um período apenas fora de casa, mas pelo jeito Anthony não vai poder usufruir desse momento tão já.. =/

Se eu tivesse a opção, eu largaria fácil a tal carreira, porque pra mim não existe nada que me dê maior prazer ou me faça sentir mais realizada na vida do que ver meu filho bem, engordando, crescendo (aliás, ele não engordou NADA desde que entrou na creche), acho que ser mãe é isso, se doar, e eu não me sentiria inferior, menos mulher, se tivesse que dar dois anos de minha vida pra ele, pra esse momento tããão especial que são as primeiras descobertas!

Respondendo a pergunta do título, eu não tenho opção. Queria muito deixar a minha ´´carreira`` de lado mas, por enquanto, EU NÃO POSSO. =/

18 comentários:

  1. Jacky apertou o coração ler seu post. como disse no meu post eu amo ser professora, mas posso ficar alguns dias com minha filha a tarde e isso é o que me consola, ñ sei se seria a mesma história se não tivesse essa válvula de escape.

    Aproveita muito seu pequeno nas poucas horas!

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Jacky da aqui um abraço que eu to chorando com você.
    Queria poder dizer que vai passat, tudo vai dar certo, ele nem vai se lembrar disso. Mas teu sofrimento é agora e não quando tudo passar ne?
    Poderia ter uma lei que permitisse as mulheres de ficar em casa quando quisessem e recebessem um salário. Mas não existe. E é uma pena.
    Eu fico com meu filho e esses 2 anos que me dediquei a ele foram os melhores da minha vida.
    Mas tenta ficar bem.

    ResponderExcluir
  3. Oh amiga, que dor no coração viu!!!
    Imagino o quanto dói o NÃO PODER.

    Vou pedir muito a Deus que ajude a adaptação plena do ANthony, pelo menos assim a mamãe ficaria um pouquinho menos chateada né?!

    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Ai como seria bom se as mamães pudessem ter um salario pra ficar em casa e cuidar de seus bebês ,mas precisam trabalhar.Sabe mas tbm importa a qualidade do tempo que vc tem com seu filho curta cada momento.

    ResponderExcluir
  5. Amiga, (sim, te chamo de AMIGA, pq embora não nos conheçamos pessoalmente e quase não nos falamos a não ser por aqui, é assim que eu de coração a considero) tudo que eu gostaria de fazer neste exato momento era e dar um abraço bem apertado, daqueles que a gente não diz nada, só sente a respiração uma da outra... Queria desse modo te dizer: "Calma, td vai se ajeitar. E eu sinto MUITO orgulho de vc, eu não teria um décimo dessa sua força!".

    Um beijo grande,
    Ma.
    http://meupequenoreidavi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Aaaa jackezinha me corto o coração vendo vc falar q acorda o Anthony eu imagino a sua vontade de querer ficar com ele mais e mais, de poder ficar dia inteiro com ele =(
    E foi como a Marcela disse, tudo vai se ajeitar vc é uma guerreira poucas mães tem essa garra q vc tem.
    Beijos em vcs

    ResponderExcluir
  7. Chorei com sua historia pq vivo essa realidade, larguei um emprego de15 anos pra poder ficar com minha filha, e agora 1 ano depois, a realidade esta batendo a minha porta e vou ter que voltar a trabalhar, muita tristeza por isso, mais não tem outra solução.

    ResponderExcluir
  8. Ahhhh suas lindas! Que delícia sentir o abraço de cada uma, muuito, muito obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Que barra amiga, imagino como deve ser complicado não poder viver a vida que vc quer, a de ser mãe em tempo integral. Eu peço a Deus todos os dias para que eu possa ser, pois percebo pelo o seu post o quanto deve ser dificil não acompanhar o filho em todos os momentos. Força!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Jacky, leio seu blog há muito tempo, desde que descobri que estava grávida. E para você ter uma ideia, o Anthony é só 10 dias mais velho que o meu Mateus. De todos os blogs de maternagem, você é a mãe que mais me identifico. E sei bem o que vc está passando. Também voltei a trabalhar e isso me partiu o coração, o primeiro dia foi o pior de todos, meu peito encheu, doeu e meu coração se despedaçou. A minha sorte foi que consegui reduzir a minha carga horária e o Mateus fica com a minha sogra, o que tem seu lado bom e o ruim, claro. Sinta-se abraçada e compreendida. Sonho todos os dias em ganhar na mega sena... hahaha. Se isso acontecer, juro que te ajudo. Beijo em vc e no lindo Anthony!!!

    ResponderExcluir
  11. É uma barra mesmo, mas fala sério hein, 1º que essa história de "queimar sutiã" é mentira, nunca nada foi queimado, houve apenas um ato simbólico de jogar sutiãs em um latão de lixo, contra a objetificação da mulher naquele concurso de miss e 2º que aquelas mulheres queriam mais da vida oras, do mesmo jeito que vc queria ficar em casa, elas queriam ter outros direitos, o que não é errado, elas não tiraram seu direito de ficar em casa o que tirou o seu direito de ficar em casa com seu filho foi a NECESSIDADE, foi o sistema capitalista que só sabe tirar dinheiro da gente e só o homem trabalhando agora não dá mais conta de bancar uma família. Mas não é justo vc desmerecer a luta das mulheres por DIREITOS. Vc mesma não iria poder nem escrever em seu blog se não fosse por essas bruxas.
    Camila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente Camila!

      Excluir
  12. Meu Deus Jacke, parece que você tirou as palavras da minha boca, penso exatamente como você tenho raiva dessa independência toda que a mulher tem que ter nos dias de hoje, preferia mil vezes estar em casa com ele!
    Temos negocio proprio mas pagamos aluguel, ajudantes e meu marido não consegue sozinho de jeito nenhum precisa de mim, dei um jeito de ficar mamãe exclusiva por 6 meses mas quando ele completou o 6° mês lá estava eu no batente, levei ele comigo montei um cantinho pra ele na loja (postei foto no face) mas cade que dei conta???
    Cada hora chegava um, queria orçamento, tinha que vender, calcular, fazer troco, atender telefone tudo com ele no colo (se nao tivesse dormindo), ele estranhou muito as pessoas o ambiente então mesmo com dor no coração e precisando trabalhar deixo ele meio periodo (a tarde) com a minha mãe, mas fico a manhã tda com ele essa é a minha salvação e condição com meu marido pra poder trabalhar em paz! Mas te digo, penso nele a tarde toda e sim são momentos que não estou lá e quem estava vivendo toda essa delicia no meu lugar é a minha mãe! :/
    Amo seus posts, amooooooooo!!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  13. Aii Jacky, me doeu o coração ler tudo isso.
    Eu só consigo imaginar o quanto deve ser difícil tudo isso, não poder ficar juntinho do Anthony todas as horas do dia. Esse sempre foi meu maior medo, não poder ficar perto dos meus filhos, mas até agora tudo se encaminha para isso acontecer, pois não to trabalhando desde que engravidei e espero não ter que voltar ao mercado de trabalho tão cedo. Graças a Deus tenho um marido e uma família que me apoiam bastante e acho que vou poder ficar o tempo que quiser com meu bebê...não gosto nem de pensar em colocar ele em creche ou deixar com alguém.

    Muuita força pra você e saiba que tudo vai dar certo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Ah não, Jack.... nossa, como doeu ler esse post!
    Doeu de verdade, me apertou o coração, nó na garganta....

    nem sei o q falar...
    torço mesmo para q isso passe!!!

    bjos

    ResponderExcluir
  15. amiga..primeiramente: QUE SAUDADE!
    Faz tanto tempo né!
    Sobre o post,é a mesma correria pra mim....acordar ainda com tudo escuro e passar o dia pensando no Bryan...me emocionei com o post pq só quem é mãe sabe....e eu tb queria poder ficar em casa e cuidar de tudo,ter paz e tranquilidade....mas as vezes não é questão de escolha né,e sim de necessidade!!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  16. Como mãe que trabalha, me identifiquei demais com sua postagem! Se eu pudesse, também largava tudo pra ficar com o Arthur e a Anabella! Quem sabe um dia né?

    Ah, esse é meu blog antigo, vou ficar com ele mesmo, então espero você lá! Bjo

    ResponderExcluir
  17. ôh amiga dá aqui um abraço!!!

    eu imagino o quanto sofrido deve ser pra você essa luta... ficar o dia longe do filho...

    eu escolhi trabalhar com os meus pais justamente pra hoje, poder cuidar do luiz gustavo. poderia estar ganhando mais, ter uma profissal e cargo mais valorizados mas não quis. não me arrependo nem um minuto. as vezes tb critico e acho injusta toda essa modernização... ok, mulheres merecem ter seus direitos, mas em contra partida temos muitos deveres afinal uma coisa não mudou nem nuca vai mudar. nós que parimos, nós que temos filhos, nós que sofremos com tudo isso. enquanto comento o lg está aqui grudado em mim puxando meus cabelos... a casa nem sempre está arrumada, nem sempre tem bolo quentinho...mas garanto que meu bebê vai estar sempre sorrindo e isso não há nada que pague!

    um beijo bem grande com muito carinho!

    ResponderExcluir

Comeeenta!